 a própria população é uma mercadoria no meio de um poder que é confundido com prazer. e ele gosta de escravizar pessoas e libertar os supostos escravos fora de si. mas nenhum império pode impedir que uma entropia em potencial se multiplique onde um dispositivo de controle surge. para isso, precisamos apenas ressuscitar a velha coragem de pôr os pés na área de indeterminação que nos une a qualquer ser e que nunca pertencerá à história. um poder destituído do espetáculo metropolitano aguarda em outro uso dos corpos. a sensação de viver em um campo de concentração planetário obtém sua realidade mais intensa dentro da metrópole. diante de uma devastação total das formas de vida, o grito que continua ressoando dentro de nós é: para onde fugir? habitando completamente, desenraizando territórios da administração capitalista mundial, construir comunas são os gestos revolucionários daqueles que pararam de esperar, que não acreditam nas "soluções" do planejamento urbano e de outras ciências governamentais, porque sabem que a geração de mundos não é um problema, mas uma necessidade vital que é assumida ou delegada ao opressor. ser uma força histórica autônoma anda de mãos dadas com a miséria do atual estado de coisas e vice-versa.

um habitar mais forte que a metrópole

R$ 36,00Preço

    fique por dentro dos nossos lançamentos, promoções, atividades, conteúdos e projetos assinando nossa newsletter:

    PARA LER COM O CORPO!

    © GLAC edições 2019

    rua conselheiro ramalho, 945,

    1º andar, sala 4, bela vista,

    são paulo – sp, 01325-001

    glacedicoes@gmail.com

    cnpj:19.884.010/0001-65

    ie: 126.272.212.119

    2019. GLAC edições. design e desenvolvimento por Pablo Vieira.

    0
    • Facebook
    • Instagram
    • Twitter
    • YouTube - Black Circle